Eternize as suas memórias.

Como criar um arco de transformação de personagem

No oitavo episódio da primeira temporada de The Sopranos, a aclamada série da HBO que mudou para sempre a história da televisão, Christopher Moltisanti, um jovem mafioso que sofre com as suas crises existenciais e crises depressivas, questiona ao seu amigo e mentor Paulie Gualtieri:

— Dizem nesses livros sobre escrita de filmes que cada personagem tem um arco. Tipo, todo mundo começa em algum lugar. Eles fazem algo, algo lhes acontece e isso muda suas vidas. Isso é chamado de arco. Onde está o meu arco?

Cada um de nós tem o nosso arco, a nossa própria história de transformação. E por que não compartilhá-la com o mundo, seja em uma autobiografia, um livro técnico que aborde as ferramentas e métodos que mudaram a sua vida ou mesmo através de um personagem fictício inspirado em fatos reais?
De qualquer modo, o fio condutor que irá ditar o ritmo, cativar o seu público e transformar a leitura do seu livro em uma experiência memorável é o arco de transformação.


O que é o Arco de Transformação?

O arco de transformação de um personagem descreve a trajetória interna que ele percorre ao longo da história, e como ela se desenvolve a partir dos seus conflitos e vivências. É o coração da narrativa, o momento em que os personagens se desenvolvem de acordo com os temas mais amplos do livro.

Estabeleça o Estado Inicial (ou Mundo Comum)

Para que a transformação seja realmente impactante, estabeleça claramente quem é o personagem no início da história. Seguindo os passos da Jornada do Herói, estamos na primeira etapa, o chamado Mundo Comum, em que estabelecemos o ponto inicial da transformação do personagem e definimos suas características, valores, defeitos e desejos.

Defina o Evento Catalisador (ou o Chamado à Aventura)

Cada arco de transformação precisa de um evento catalisador, um momento que desafia as crenças iniciais do personagem e o impulsiona a mudar. Na Jornada do Herói, chamamos este ponto da narrativa de o “Chamado à Aventura”. O chamado pode ser uma crise, um encontro ou uma revelação que perturbe a vida do personagem e exija uma resposta e uma ação.

Desenvolva Conflitos Internos e Externos

Os conflitos fazem parte de qualquer transformação. Eles forçam o personagem a enfrentar seus erros, medos e desejos contraditórios. Integre conflitos internos (lutas emocionais e psicológicas) e externos (desafios físicos e sociais), fazendo com o que o seu personagem saia de cada um deles ligeiramente — ou não — transformado.

Momentos de Reflexão

Adicione cenas em que o personagem reflete sobre suas experiências e as mudanças que está enfrentando. São momentos de introspecção que irão mostrar ao leitor o processo de transformação de forma crível e emocionalmente cativante.

Use Subtramas para Enriquecer a Transformação

Através das subtramas exploramos diferentes aspectos do arco de transformação do personagem e trazemos ainda mais profundidade à nossa obra. Elas podem espelhar, contrastar ou adicionar mais conflitos à trama principal.

O Clímax da Transformação

O clímax do arco de transformação deve ser um ponto de virada em que o personagem finalmente enfrenta seu maior desafio ou faz uma escolha que reflete toda a mudança vivida. Na grande maioria dos casos, é o momento mais dramático e impactante da história.

Resolução e Reflexão Final

Após o clímax, mostre ao seu leitor como o personagem foi alterado. A resolução deve amarrar as pontas soltas e trazer uma reflexão sobre a trajetória do personagem. Deixe claro como a transformação impactou sua vida, as suas relações e como o seu “Mundo Comum” foi mudado para sempre.
Agora, com a estrutura do arco de transformação em mente, responda para si mesmo e, se quiser, também para mim na sessão de comentários:


Qual é o seu arco e qual é a melhor forma de contá-lo?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp